Mas afinal, que raio é o Coaching?!

,

O que é o (Life) Coaching? Preciso de Coaching???

Não. Ninguém PRECISA de Coaching. O Coaching é um investimento em ti, para saires do modo sobrevivência e entrares no modo vivência. Como uma mudança de “look”, mas que não é externa e sim, interna. Claro que as mudanças internas levam a mundaças externas. Isso já sabemos.

Para que serve o Coaching?

É uma ferramenta que te auxilia a direcionar a vida, a sair da deriva, do buraco, do conflito, da dificuldade, da sobrevivência. Trabalha acima de tudo o nosso poder interno de escolha e a auto-estima.

Coaching é Terapia?

Não. Terapia trata, faz um diagnóstico e pode inclusive receitar medicação. Foca-se nas feridas emocionais da pessoa – que é chamada de “paciente” – muitas vezes remexendo no passado, na infância, na relação com o pai e com a mãe, nas relações abusivas, dependências, traumas, etc. Um não substitui o outro.

O Coaching não é Terapia, Personal Training (PT), conversa de café ou de melhor amiga/o.

Para quem é o Coaching?

Para todos os que quiserem mudar as suas circusntâncias atuais e construir um futuro melhor, para todos os que estão insatisfeitos com a sua vida, a sua direção, ou aqueles que estão sem direção.

Para quem Não é o Coaching?

Para quem não está disposto a saír da sua situação e a fazer o trabalho interno. Para quem está em negação, para quem espera que o Coach resolva todos os seus problemas, para quem sofre de distúrbios psicológicos, para quem precisa de curar traumas, para quem acha que o trabalho é gratuito.

É possível fazer Coaching e Terapia em simultâneao?

Sim! Em muitos casos é uma mais valia. Porque a Terapia trata o trauma, o Coaching ajuda a implementar na vida atual estratégias de ação para não repetir os traumas e avançar para uma nova forma saudável de viver e de estar no trabalho e nas relações.

Porém, às vezes é necessário fazer um trabalho terapêutico profundo antes que a pessoa esteja pronta para pensar no futuro. Quando o passado ainda está muito presente, é preciso resolvê-lo primeiro para poder avançar.

Vale a pena ter um PT e, ao mesmo tempo ter um Coach quando o “tema” é o mesmo? (perder peso)

Para algumas pessoas pode não só valer a pena como fazer toda diferença. O PT vai fazer-te um plano de treino e acompanhar-te-á durante esse treino. O Coach ajuda-te a encontrares a tua própria motivação nos dias maus. E nesses dias podemos facilmente deslizar e lá se vai todo o trabalho no ginásio. O Coach lembra-te o PORQUÊ de teres tomado aquela decisão e quais as alternativas se desistires. Serve de um espelho das tuas próprias motivações e assim, trabalha em conjunto com o teu PT 🙂

Então, o Coaching não te motiva???

Lamento informar-te mas… não. O verdadeiro Coach faz melhor: apoia-te a encontrares a tua própria motivação interna e a trabalhá-la, para que se fortaleça. Ele não é nem pode ou deve ser a tua fonte de motivação, senão, acaba-se a fonte e acaba a motivação! Aliás, é assim que muitos “pseudo” coaches fazem as suas fortunas. “Viciam as pessoas”, dão-lhes o “high” e quando termina, cobram mais uns belos tostões para receberes a próxima dose. Criam dependência. O verdadeiro processo de Coaching trabalha a auto-estima, e não a auto-confiança, são coisas completamente diferentes.

Há muitas pessoas que se intitulam de Coaches e dão “cursos” com fórmulas de como fazer alguma coisa. Que tipo de Coaching é esse?

Não há “tipos de Coaching”. Isso simplesmente não é Coaching. É Consultoria. E esses consultores (e não coaches) criam confusão na cabeça das pessoas e o Coaching passa a ser associado a uma prática oposta ao que ela é na essência.

Porque é que fazem isso?

Porque o Coaching virou uma moda, e como todas as modas há interesses lucrativos e de marketing por detrás.

Qual a diferença entre Coaching e Consultoria?

Na Consultoria, o consultor é o especialista e possui um conhecimento que os clientes procuram, e assim sendo, ele é o elemento que mais fala e os outros escutam.

No Coaching, o Coach está numa relação de igual para igual com o cliente (não “paciente” como na terapia), e “escuta ativamente” a informação que provém do cliente e processa-la de maneira a auxiliá-lo no trabalho de trazer para o consciente o que está no inconsciente e assim sair do bloqueio ou da dificuldade em que se encontra.

Então isso não é a mesma coisa que um psicólogo?

Não. Ainda que tenham pontos em comum. O Coaching está orientado para o presente e para o futuro com estratégias de ação. Não lhe interessa desenvolver muito o “storytelling” à volta da pessoa, mas a pessoa em si naquele momento atual, 100% presente com ele/ela, a fim de chegar ao cerne real da questão que preocupa o cliente.

O Coaching é uma profissão legítima?

Sim, é. Mas tal como a Psicologia teve de fazer um longo caminho antes de ser considerada uma disciplina oficial e estudada nas universidades, o Coaching é ainda uma prática muito recente. Não é, portanto e ainda, considerada uma disciplina oficial com cursos académicos nas universidades públicas. No entanto, há uma federação mundial que certifica escolas de coaching pelo mundo inteiro e cria normas, metodologias, credenciais e códigos de ética, regulando assim prática de Coaching. Chama-se ICF – International Coach Federation.

Quer dizer que há muitos Coaches a praticar a profissão sem terem estudado ou terem qualquer tipo de habilitações?

Infelizmente, sim. E é isso que descredibiliza a profissão. Ao ter virado moda, muitos pensaram numa ideia de negócio que apele aos mais sensíveis ou vulneráveis, criaram um produto altamente dimensionável e intitularam-se de Coaches. Escreveram uns livros, e ao final de repetirem tanto o modelo, tornaram-se excelentes consultores de um negócio que eles próprios criaram. Aconselho sempre a trabalhar com coaches que investiram na sua profissão. E, mesmo tendo as habilitações (e talento), é sempre preciso prática, como em qualquer outra profissão.

De onde vem o termo “Coach”?

O termo “Coach” foi usado pela primeira vez como calão, em associação aos mentores que acompanhavam os estudantes nos exames, por volta de 1830 na Universidade de Oxford. A palavra “coaching” identificava por isso mesmo, o processo de “transportar” a pessoa de uma posição em que ela está para onde ela quer estar. A primeira utilização do termo associado ao desporto aconteceu em 1861, e posteriormente na área do Desenvolvimento Pessoal e estudos de Liderança.

Os Coaches fazem Coaching?

Se não fazem, deviam fazer. Somos muito bons a auxiliar os outros e não a nós próprios, por isso mesmo é que precisamos dos outros para nos apoiarem nas dificuldades, e os Coaches são seres humanos como os demais. Portanto, sim, é um investimento muito válido e importante para os próprios Coaches. Claro que muitas pessoas recorrem aos amigos para os ajudarem a tomar decisões e a ultrapassar momentos dfíceis, mas a verdade é que o Coach não é um melhor amigo. O melhor amigo tem o lugar dele, que é extremamente importante, e terá um “tipo” de conversa e de perguntas e, o Coach, terá outro completamente diferente. Eles não se substituem porque a função do Coach não é dar conselhos. Por isso, eu posso falar com as minhas amigas como amiga ou como Coach, e muitas vezes pergunto o que desejam que faça.

E tu, Elisa, o que és?

Coach Relacional, certificada pela Coach Training Alliance (CTA) nos E.U.A, que por sua vez é certificada pela International Coaching Federation – ICF

Formadora e Mentora – dou workshops e formação sobre Relacionamentos, Comunicação Afectiva e Tipos de Personalidade e Compatibilidade no Amor

Consultora de harmonização e organização de Espaços, (Elisa, The Space Maker), com base nos princípios de Feng Shui e decoração

Professora – dou aulas de inglês (Elisa, The Teacher)

Copywriter – produzo conteúdos em português e inglês e escrevo artigos

Artista – componho piano, faço artes visuais e performtivas

Com carinho,

Elisa.

Nem todas as estórias de amor dão para a vida.

E nem todas as estórias de vida são estórias de amor.

O que é que as define? Qual queres? Em que estória estás?

Podes ter as duas numa só?

Agenda Sessão de Descoberta – email contact@elisadelima.com

       Relacionamentos de Qualidade é Qualidade de Vida

contact@elisadelima.com

linktr.ee/elisadelima

E, como habitual, mensalmente ofereço sessões de Coaching Relacional, Individual ou em Casal!
Responda a estas 3 perguntas por email, e entro em contacto consigo!

– Qual é a sua situação atual? – Que deseja conseguir neste momento? – Quais são os seus 3 maiores obstáculos para conseguir isso?

contact@elisadelima.com

3 replies
  1. Rui Rodrigues
    Rui Rodrigues says:

    Excelente artigo. Incrivelmente válido! Deveria estar a ser partilhado pelo mundo fora pela qualidade da informação e desmistificação. Não menos excelente fotografia 🙂

    Reply

Trackbacks & Pingbacks

  1. […] meu último artigo sobre o que ninguém se atreve dizer sobre Coaching, mencionei os conceitos de AUTOESTIMA e AUTOCONFIANÇA. Eles geram alguma confusão e por isso, […]

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Leave a Reply

Your email address will not be published.